ALERJ desiste de mudar nome do Maracanã
07/04/2021 17:25 em Novidades

A própria Assembleia havia sugerido e aprovado a mudança em março

 

Por Bernardo Oliveira

Foto: Divulgação/Riotur

 

Após ter sido sugerida e aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), a possível mudança de nome do Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã, para “eSTÁDIO Edson Arantes do Nascimento – Rei Pelé”, não irá acontecer. A informação foi dada pelo próprio presidente da Casa, o deputado André Ceciliano (PT). Só faltava a sanção do governador em exercício, Cláudio Castro (PSC), mas a Alerj desistiu da proposta e pediu para que o projeto seja vetado.

 

Ceciliano era um dos autores do projeto, que, segundo ele, visava homenagear Pelé em vida. A mudança foi proposta e aprovada no mês passado, mas sofreu críticas de todas as partes da sociedade desde então. O Ministério Público já havia recomendado o veto, advertindo que o nome do estádio “integra a identidade cultural carioca” e que a mudança violaria patrimônio imaterial dos torcedores.

 

Mário Filho, que dá nome ao Maracanã, foi um jornalista carioca que viveu entre 1908 e 1966. Fundador do Jornal dos Sports, criado em 1931, ele foi um dos idealizadores da criação do estádio, além de um dos mais importantes cronistas esportivos de seu tempo. Flamenguista de coração, ainda escreveu obras destacadas para compreender o futebol no Rio e no Brasil, como “O Negro no Futebol Brasileiro” e “O Vermelho e o Preto”.

 

Inaugurado em 1950 para a disputa da Copa do Mundo, o Estádio do Maracanã recebeu este apelido por ficar às margens do rio de mesmo nome, no bairro da Tijuca, Zona Norte carioca. Seu primeiro nome oficial foi Estádio Municipal Mendes de Moraes, em homenagem ao prefeito da cidade na época de sua fundação. Após o assassinato de Mário Filho, uma campanha foi feita para que o estádio fosse rebatizado, o que aconteceu semanas depois da morte do jornalista.

COMENTÁRIOS