São Gonçalo, 15 de Dezembro de 2019

"Dança dos treinadores” segue movimentando a Segundona
16/07/2019 22:48 em Novidades

Emanoel Sacramento (foto) foi demitido do Bonsucesso no domingo (15/07)

 

 

Gabriel Andrezo

Foto: Vitor Melo (FutRio.net)

 

Como acontece em todo campeonato, as mudanças de treinadores vêm sendo comuns na atual edição da Série B1 do Carioca, a segunda divisão do futebol estadual. Na última semana, três mudanças de comando foram anunciadas entre times da competição, que ainda nem chegou em sua metade. Até antes da última rodada do primeiro turno, dez dos 19 clubes do campeonato já realizaram trocas de técnico, havendo portanto mais clubes que já mexeram em seus comandos do que aqueles que mantém o mesmo profissional desde o começo da competição.

A mais recente mudança aconteceu no Bonsucesso, que demitiu Emanoel Sacramento, no último domingo (15/07). Mas sua saída não se deu por causa de resultados ruins, afinal o Cesso ainda não perdeu na Segundona e tropeçou pela primeira vez no sábado, empatando em 1 a 1 com o Campos. Porém, durante o segundo tempo, Emanoel discutiu com torcedores, com quem trocou xingamentos e até gestos obscenos. Uma reunião no dia seguinte foi decisiva por sua saída. Em princípio, o supervisor Alan Paschoal fica como interino, mas a diretoria vai atrás de um novo treinador.

Com isso, o Cesso chega à sua incrível terceira troca de técnico em menos de três meses. Maurinho, que treinou o time na pré-temporada, saiu após o rompimento do então diretor Rogério Alves com o gestor do clube, Marcelo Salgado. Luciano Quadros assumiu em seu lugar, mas saiu após quatro jogos, devido a uma proposta financeira melhor por parte do Sampaio Corrêa. Desta vez, Sacramento é que sai, dando lugar a um treinador ainda não definido. Tudo isso acontece no melhor começo de temporada do Bonsucesso em mais de 90 anos.

Mas os rubro-anis não estão sozinhos na conta. Na última semana, o Olaria demitiu Israel Ferreira e passou a ter Ivan da Silva como interino. No São Gonçalo, Renato Alvarenga não foi demitido, mas passou a ser somente diretor de futebol, dando a vaga a Léo Goiano. A mudança deu resultado, com a primeira vitória do time na Segundona, sobre o America, acontecendo na estreia de Léo. O Itaboraí, em crise, já teve três técnicos só na Segundona: Silvestre, Suca e Chico Marcelo, sem contar com Rafael Soriano e Antônio Carlos Roy, que comandaram o time na Série D do Brasileiro.

Na última segunda, o America também realizou alterações, com Ney Barreto, dos juniores, assumindo o time profissional, substituindo Renato Carioca, que voltou a ser supervisor do clube após ter assumido o comando depois da morte de Luisinho Lemos, em maio. A virada do turno, agora, pode reservar mais nomes a se juntarem à "dança dos técnicos", tão comum em Segundonas nas últimas temporadas.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!

Seja um padrinho da Esporte Metropolitano! A partir de 1 real você nos ajuda a produzir o melhor conteúdo para você! Clique na imagem abaixo e saiba mais: